Li-fi é uma alternativa ao Wi-fi que ainda pode parecer surreal para a maioria dos usuários de internet no Brasil. Não que isso seja um problema, afinal essa tecnologia é super nova e ainda está saindo dos laboratórios de pesquisa para o mundo real.

O Li-fi vem do inglês Light Fidelity. É basicamente um sistema de comunicação através de luzes LED capazes de transmitir dados numa velocidade absurdamente maior que o Wi-fi.

Essas luzes podem ser quase invisíveis e superiores ao Wi-fi por serem inofensivas a áreas sensíveis a eletromagnética, tais como hospitais, cabines de avião e usinas nucleares.

A segurança é outro ponto interessante. A luz não passa por paredes, então o sinal também não transpassa por elas. Isso evita interferência entre devices e mantém o sinal onde ele deveria estar, com segurança para os dados guardados em ambientes normais.

Dentro do laboratório os cientistas já alcançam transferências de 224 Gigas por segundo.

Agora, uma start up da Estônia chamada Velmenni anunciou o uso do Li-fi para fins comerciais. O resultado da pesquisa foi um sinal 100 vezes mais rápido que o Wifi.

Já imaginou baixar um filme em High Quality em segundos usando uma luz comum?
Baixar gigas de música em poucos minutos usando uma lanterninha?

 

O inventor do Li -Fi, Prof. Harald Haas  da Universidade de Edimburgo, afirmou que no futuro cada lâmpada LED poderá ser usada como uma alternativa ultra- rápida ao Wi-Fi.

Professor Harald Haas with a light transmitter and receiver in his lab at Edinburgh University. Photograph: Murdo Macleod for the Observer
  • Facebook
  • Twitter
  • googleplus
  • Gmai
  • LinkedIn
Foto: Murdo Macleod @ Observer

Em uma palestra TED onde ele descreve a tecnologia, Haas disse que a infraestrutura atual é viável para o uso da luz como transmissão de dados.  Substituir as luzes incandescentes por LED seria o passo base para o projeto se espalhar.

O segredo é a luz, plenamente segura para a saúde humana e usada em todos os lugares do mundo.

 

 

 

Share This